Apontamentos SD

Recursos para Lidar com o Stress

Tal como referi no artigo anterior, uma situação só por si não pode ser considerada como ‘stressante’ ou como ‘indutora de stress’. Para ser definida como tal, devem ser considerados 3 fatores:

  • A avaliação que o indivíduo faz da situação
  • A sua percepção da sua capacidade de resposta/controlo
  • O apoio social de que dispõe naquele momento.

Neste sentido, o impacto de uma circunstância, parece depender mais de características do próprio indivíduo e dos seus recursos (pessoais ou sociais), do que da situação em si.

Nos recursos sociais, podemos referir a rede social em que determinado indivíduo está inserido e a facilidade de acesso a pessoas (familiares, amigos ou conhecidos) que possam, efetivamente disponibilizar-lhe apoio.

Nos recursos pessoais, podemos referir os diferentes aspetos relacionados com o sujeito e a sua personalidade e que de alguma forma determinam a sua capacidade de mediar uma situação de stress, pois influenciam a representação cognitiva da situação vivida. Entre estes, podemos apontar: uma personalidade resiliente, sentido de humor, otimismo, um autoconceito positivo, uma autoestima elevada e uma boa capacidade de comunicação.

Importa ainda referir, que não existem recursos ou estratégias que possam ser apresentadas como ‘universalmente’ eficazes ou ineficazes. De facto, o grau de eficácia de uma determinada estratégia, depende (efetivamente) da combinação de recursos de que o indivíduo dispõe, mas, sobretudo, do tipo de problema com que o mesmo se defronta e a sua afinidade com a estratégia escolhida.

Sendo assim, uma determinada estratégia poderá ser superior a outra, quando utilizada pela pessoa certa, no momento certo e tendo em conta uma situação específica, mas nem por isso, significar que esta estratégia seja sempre eficaz, em todos os tipos de circunstâncias e com todos os tipos de pessoas.

Cai assim por terra a nossa tendência inata de, perante uma determinada situação tender a aplicar ‘fórmulas de ação’ que já se mostraram eficazes no passado e que para a situação atual poderão ser totalmente inadequadas.

O segredo está numa atitude otimista, de perseverança na busca pelos nossos sonhos e de aceitação perante as situações que não podem por nós ser alteradas, rodear-mo-nos de pessoas que nos querem bem e comunicar, comunicar muito!

Ana Rita Júlio

Licenciada em Psicologia
Mestrado em Psicologia Pedagógica

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *